Guia Completo da Obesidade Infantil – Riscos, Causas & Tratamentos


Quem nunca ouviu a típica frase de que crianças gordinhas são lindas, mas é preciso desmitificar isso e encarar que a obesidade infantil traz seus riscos.

Estar gordinho(a) não influi apenas na aparência física, mas em tantos outros pontos, podendo ser um grande desafio e limitador para as crianças, que passam a enfrentar dificuldades com possíveis problemas de saúde, e enfrentam dificuldade e cansaço até mesmo nas brincadeiras.

A obesidade infantil é um grande alerta para combater o excesso de peso ainda criança, prevenindo problemas de saúde, riscos, e até mesmo combatendo o bullying que a criança sofre por estar acima do peso, um problema grave e recorrente, que pode ser um limitador na vida e desenvolvimento da criança.

E são tantas as dúvidas em torno da obesidade infantil, que no post de hoje trazemos informações sobre o excesso de peso na infância, dicas, causas, tratamentos, e muitas outras informações.

dicas

 

Sobre a Obesidade Infantil

O que é?

A obesidade infantil é o termo usado para determinar crianças que estão acima do peso recomendado, de acordo com seu peso e altura.

O peso em excesso nas crianças pode ser classificado em diversos níveis, que vão desde a obesidade em grau mais leve, até um nível que pode ser caracterizado como obesidade mórbida.

O excesso de gordura nas crianças é o que classifica a obesidade, e muitas vezes se torna aparente pelas gordurinhas que começam a ser aparentes.

dados obesidade crianças

Dados mostram a obesidade entre as crianças no mundo e no Brasil

Quais os Maiores Riscos para as Crianças?

Estar acima do peso não é apenas um fator estético, mas vai muito além disso e pode trazer riscos de saúde e desenvolvimento para as crianças, afetando até mesmo a vida adulta. Entre os riscos que a obesidade infantil pode trazer estão:

  • Colestorol alto: o excesso de gordura e a má alimentação podem causar a elevação do colesterol ruim e isso faz subir o colesterol como um todo. O aumento do colesterol é um risco para o entupimento de veias e pode ser um problema que se estenda até a fase adulta.
  • Diabetes: o nível de açúcar elevado no sangue é uma grande preocupação e que pode ser intercorrente da má alimentação e ingestão demasiada de doces e açúcares. A diabetes traz riscos para a saúde e pode ser bastante difícil de lidar, já que a alimentação deve ser ainda mais regrada, evitando o consumo de açúcar.
  • Problemas respiratórios: o excesso de peso pode ser um agravante para crianças que já enfrentam problemas respiratórios, como asma, podendo até mesmo agravar o caso e tornar as crises respiratórias mais frequentes.
riscos excesso de peso

O excesso de peso entre as crianças pode trazer riscos sérios à saúde

  • Sonolência: o peso excessivo pode atrapalhar o sono das crianças em virtude da apneia e dificuldade de respirar por conta do peso, isso deixa as crianças com o sono conturbado e faz com que a sonolência seja um sintoma frequente, podendo até mesmo influenciar no desenvolvimento da criança, atrapalhando seu crescimento saudável e até o rendimento escolar.
  • Dores nas articulações: cada estatura é preparada para uma carga, e o peso em excesso influencia na sobrecarga de peso para as articulações, o que pode vir a trazer dores no corpo, causadas por problemas de articulação em decorrência do excesso de peso infantil.
  • Depressão:  com o excesso de peso torna-se aparente as gordurinhas e a criança pode passar a enfrentar dificuldades na hora de brincar com os amigos, com esse mix de estética e dificuldade de praticar atividades físicas, é possível que a criança passe a ser excluída das atividades de interação com os amigos e sofra de “brincadeiras” de péssimo gosto, o que se caracteriza por bullying. A exclusão da convivência com outras crianças pode trazer sintomas depressivos na criança, outro problema grave que precisa de intercorrência.

Quais as Principais Causas?

síndromes que podem influenciar a obesidade infantil, mas esse tipo de problema é menos recorrente e geralmente é possível de se analisar quando a criança tem uma alimentação equilibrada e saudável, e ainda ganha peso de modo demasiado.

Outra possível causa está ligada a condições médicas, como um tratamento a base de medicamentos com corticoides, que podem influenciar no inchaço e ganho de peso, mas neste caso o médico que está acompanhando o caso e o tratamento alerta para esse efeito colateral do medicamento.

A herança genética é outro fator que pode causar o ganho de peso excessivo entre as crianças, e apesar de não ser uma regra, as disfunções hormonais e características de pais obesos pode ser transpassada para os filhos.

E apesar de existirem diversas causas para a obesidade infantil, no geral, as causas do excesso de peso estão ligadas a má alimentação das crianças e baseadas numa ingestão de alimentos com baixo valor nutricional e alto valor energético.

causas obesidade

A alimentação rápida com snacks, comidinhas rápidas e muito refrigerante é um grande aliado para o ganho de peso, mas há outras causas que podem influenciar nesse processo de ganho de peso rápido, como o sedentarismo, visto que atualmente é cada vez mais comum que as crianças passem horas do dia sentadas em frente às telas (celular, computador, tablet, TV).

Com tantas tecnologias, as crianças deixam de lado as brincadeiras com movimentação e isso diminui a queima de calorias.

Exames e Diagnósticos

Quem Pode Diagnosticar?

Para ter um diagnóstico preciso e a causa desse excesso de peso, o ideal é a visita a um médico.

A especialização médica para o diagnóstico da obesidade infantil pode ser em diversas áreas, como  endocrinologista, pediatra e com acompanhamento de um profissional da alimentação, como nutrólogo.

Posterior ao diagnóstico, o médico pode orientar outras especializações ou profissionais, como nutricionista, para dar início ao tratamento e combate do excesso de peso na criança.

diagnóstico

O diagnóstico pode ser feito por um médico

Exames

O primeiro passo analisado pelo médico e que pode ser feito em casa, é a análise de IMC (Índice de Massa Corporal) infantil. Para calcular o IMC, considere o peso (kg) dividido pela altura ao quadrado, ou seja:

 

fórmula IMC

As duas fórmulas dão o mesmo resultado

Com o resultado do IMC é hora de verificar em qual índice o resultado se encontra, e para isso, vamos a uma tabelinha:

Meninos
Idade (Anos)NormalObesidade 1 (sobrepeso)Obesidade 2 (severa)
614,5mais de 16,6mais de 18,0
715mais de 17,3mais de 19,1
815,6mais de 16,7mais de 20,3
916,1mais de 18,8mais de 21,4
1016,7mais de 19,6mais de 22,5
1117,2mais de 20,3mais de 23,7
1217,8mais de 21,1mais de 24,8
1318,5mais de 21,9mais de 25,9
1419,2mais de 22,7mais de 26,9
1519,9mais de 23,6mais de 27,7

Meninas
Idade (Anos)NormalObesidade 1 (sobrepeso)Obesidade 2 (severa)
614,3mais de 16,1mais de 17,4
714,9mais de 17,1mais de 18,9
815,6mais de 18,1mais de 20,3
916,3mais de 19,1mais de 21,7
1017mais de 20,1mais de 23,2
1117,6mais de 21,1mais de 24,5
1218,3mais de 22,1mais de 25,9
1318,9mais de 23mais de 27,7
1419,3mais de 23,8mais de 27,9
1519,6mais de 24,2mais de 28,8

Para deixar claro e exemplificar como funciona o cálculo de IMC infantil, vamos a um exemplo:

Considerando uma menina, que tenha 10 anos, pese 40 kg e meça 1,40 m, vamos ao cálculo:

IMC = 40 / 1,40 x 1,40

IMC = 40 / 1,96

IMC = 20,40

Com o resultado em mãos, é hora de ir à tabela. Olhando a tabela de meninas com 10 anos, o resultado acima de 20,1 indica para obesidade 1 (sobrepeso), e isso indica que é hora de dar atenção a esse sobrepeso para não agravar mais o quadro.

Além do cálculo de IMC, durante a consulta e diagnóstico de obesidade infantil, o médico pode pedir exame de sangue para verificar taxas de colesterol, glicemia, desequilíbrios hormonais, entre outras alterações.

Caso o médico veja algum outro ponto a ser analisado, pode pedir exames específicos de acordo com cada caso

Diagnósticos

Para facilitar o diagnóstico e causa do excesso de peso infantil, uma dica para os pais é anotar durante alguns dias, em média uma semana, as práticas alimentares da criança, atividades físicas realizadas e possíveis sintomas desse excesso de peso.

Entre as anotações, inclua as informações como:

  • Quantidade média de comida ao dia;
  • Tipos de alimentos mais consumidos pela criança;
  • Horários das refeições;
  • Uso ou não de algum medicamento;
  • Histórico médico infantil;
  • Características de peso dos pais;
  • Práticas de exercícios e atividades ao ar livre;
  • Possíveis sintomas analisados na criança – sonolência, tristeza em virtude do peso em excesso.

Com tais informações e com os exames realizados, o diagnóstico pode ser dado pelo médico, caracterizando qual a possível causa do ganho de peso infantil.

Tratamento da Obesidade Infantil

Medicamentos

No geral, não há uma indicação de remédios que ajudem no emagrecimento infantil, e isso implica na mudança de hábitos alimentares e prática de exercícios físicos.

Os remédios para as crianças só é indicado em casos de alterações hormonais, e neste caso, busca-se regular os hormônios para depois dar início ao tratamento de emagrecimento.

Ou seja, tratamentos a base de remédio para a obesidade infantil só são indicado a casos específicos e quando o ganho de peso está ligado a alguma disfunção hormonal.

Cirurgia

A cirurgia bariátrica é uma medida que pode ser tomada contra a obesidade infantil, mas esse procedimento exige muita cautela.

No SUS (Sistema Único de Saúde), a idade mínima para a cirurgia é de 16 anos, e apesar dessa ser uma fase da adolescência, há sim casos de operações em crianças, mas esse ainda é um índice bem baixo.

A cirurgia de redução do estômago em crianças só é indicada em casos de obesidade grave, e que apresentam diversos riscos para a criança. Caso contrário, são indicados outros tratamentos menos arriscados para o emagrecimento natural, já que a bariátrica pode afetar na absorção de nutrientes e afetar o desenvolvimento infantil.

Alimentação

Um grande ponto do ganho de peso está na alimentação, mais especificamente, na má alimentação.

E para ter um tratamento eficaz contra o ganho de peso, o ideal é fazer um reeducação alimentar, onde a criança aprenda novos hábitos de se alimentar de maneira saudável para manter isso no futuro e evitar a obesidade na fase adulta.

Para a reeducação alimentar, esqueça qualquer dieta maluca e procure a ajuda de um profissional da alimentação, que irá verificar a quantidade de calorias diárias e necessárias para cada criança, e assim elaborar uma dieta baseada no gosto da criança e nas necessidades que ela apresenta.

reeducação alimentar infantil

Alimentos integrais são ótimos integrar a reeducação alimentar

Nessa fase, deixe a geladeira e os armários com alimentos ricos em valores nutricionais, como frutas, verduras, legumes, grãos e esqueça tudo aquilo que não faz bem a saúde (refrigerante, frituras, etc). Para não deixar a reeducação alimentar monótona, vale fazer snacks saudáveis, assim a criança tem um aperitivo para beliscar.

Ah, e nada de descuidar da lancheira. Procure programar o lanche diário das crianças, de modo que mesmo longe dos pais elas tenham uma alimentação saudável.

alimentação saudável

Incluir as crianças no preparo dos alimentos pode estimular a alimentação saudável

 

Exercícios Físicos

Outro ponto essencial para ajudar no emagrecimento e no combate de excesso de peso infantil, é aliar a alimentação a práticas esportivas.

atividade física

Inicialmente, a criança pode começar com caminhadas leves e o estímulo de brincadeiras ao ar livre, mas se o caso de obesidade infantil estiver mais agravado, é ideal procurar por um profissional da área para indicar exercícios adequados para cadacaso e que intensifiquem a queima de calorias.

Como Ajudar seu Filho: Dicas Importantes para os Pais

Assim como é difícil para as crianças, a obesidade infantil também é um desafio para os pais, que precisam estar aliados aos filhos para vencer esse excesso de peso.

O primeiro passo importante para os pais é dar muito amor e carinho, pois a obesidade infantil pode estar deixando a criança para baixo por conta do bullying que sofre na escola e no grupo de amigos. Então, esteja junto da criança, demonstre muito amor e diga o quanto a ama independente da estética.

Para os pais, é muito importante estar preparado para enfrentar problemas do dia a dia, como olhares preconceituosos, e todo o sofrimento que a criança irá passar nessa fase em que está acima do peso. Por isso, é bacana conversar com a criança, perguntar como está o relacionamento com os amigos, e demonstrar muito carinho.

Um segundo ponto importante para os pais ajudarem os filhos é sendo exemplo! Se você quer educar o seu filho em relação à reeducação alimentar e a prática de atividades físicas, faça isso como exemplo. Mudar a alimentação de toda a família é um ponto importante, pois garante uma boa saúde a todos e dá o exemplo para as crianças. Outro ponto bacana, é separar momentos da semana para a família se exercitar junto, assim cria um momento em família e com a queima de calorias.

dicas pais

 

Agora é só acompanhar o desenvolvimento infantil e ficar em alerta com o excesso de peso das crianças para garantir um desenvolvimento saudável.



COMPARTILHE COM AMIGOS!

Mais Dicas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *