Guia Completo da Cesariana – Saiba Tudo Sobre a Técnica de Parto!

O parto normal é a indicação da Organização Mundial da Saúde (OMS), mas isso em casos em que é possível, e a outra opção é a cesariana, um procedimento cada vez mais adotado entre as mulheres e médicos.

O parto cesárea é uma opção bastante realizada no Brasil e pode ser a escolha quando não há possibilidade da realização do parto normal, e até mesmo uma escolha para mulheres que dão preferência prévia a esse tipo de parto.

No entanto, antes de escolher a cesariana como a opção para o nascimento do bebê, é bem interessante saber um pouquinho mais dessa técnica de parto e dos cuidados pós procedimento, assim você terá mais informações para escolher o seu tipo de parto.

dúvidas e respostas

 

Cesariana: Dúvidas Frequentes

O que é?

A cesariana é um tipo de parto com incisão cirúrgica, ou seja, é um parto induzido através de um procedimento cirúrgico.

Na cesárea, o obstetra realiza um incisão cirúrgica nas paredes abdominais e do útero, criando um espaço nessa região para a retirada do bebê, que sai a partir do corte feito, o que diferencia-se do parto vaginal, onde o bebê sai pela genitália feminina.

o que é
A cesárea é um procedimento cirúrgico

Quais suas Vantagens e Desvantagens?

Muito comentada por ser um procedimento cirúrgico e mais invasivo que o parto vaginal, a cesariana não tem apenas seus pontos negativos, mas também abrange uma série de pontos positivos.

E para demonstrar os dois lados, elencamos os prós e contras da cesárea.

VantagensDesvantagens
Nascimento agendado: a cesárea com definição prévia dá a possibilidade de escolher um dia e horário para o nascimento do bebê, sem a necessidade de esperar por contrações e a espontaneidade para o início do parto, como o parto vaginal.Maior tempo no hospital: como é um procedimento cirúrgico, a cesareana pede que mãe e bebê fiquem mais tempo no hospital para recuperação. Esse tempo pode ser até 3 vezes maior que o tempo de um parto normal.
Tempo mais curto para o trabalho de parto: como é uma prática induzida, o trabalho de parto costuma ser mais curto, exceto em casos de complicações; já que não há necessidade de esperar pela dilatação.Maior possibilidade de infecções: como qualquer outra intervenção cirúrgica, a cesariana traz maior risco de contaminações e infecções, já que há sangramento maior e mais exposição durante a intervenção cirurgica.
Reduz risco de incontinência urinária na mãe: como não é um parto via vaginal, a mãe não sofre com incontinência urinária advinda do parto.Cicatriz na pele: o procedimento realizado através de uma cirurgia resulta numa cicatriz, que costuma ser horizontal e próximo da região pélvica.
Elimina riscos associados ao parto via vaginal: no parto normal/ natural, é possível ter riscos como traumas ósseos, o que não acontece na cesariana.Recuperação: talvez um dos pontos negativos que mais pesa no procedimento da cesárea é esse. Após a intervenção médica e cirúrgica o tempo de recuperação é mais longo que o parto via vaginal, afinal estamos falando de uma cirurgia.
Anestesia: para muitas mulheres a anestesia desse procedimento é a principal vantagem, já que a mãe não precisa induzir a força para o nascimento do bebê e não sofre com as dores do parto normal.Anestesia: ao mesmo tempo que está entre os pontos positivos a anestesia também é um ponto negativo, pois pode dar reações em algumas mulheres.

Quais seus Riscos?

Assim como qualquer outro procedimento cirúrgico, a cesárea também tem riscos.

E para que você tenha todas as informações acerca do procedimento da cesariana, elencamos os riscos que essa intervenção cirúrgica pode trazer para a mãe e para o bebê.

  • Risco de prematuridade: para a decisão de uma cesárea agendada é preciso ter certeza da idade gestacional e do dia de concepção do bebê, evitando que o parto previamente marcado induza a uma nascimento antes de completar o tempo necessário, que é de no mínimo 39 semanas, evitando complicações de saúde para o bebê.
  • Maior possibilidade de problemas respiratórios no bebê: no procedimento de nascimento via vaginal, a compressão na hora do parto ajuda a criança a colocar para fora o líquido presente nos pulmões, evitando possíveis problemas respiratórios. Já no processo da cesariana, o bebê não passa por essa compressão.
  • Maior risco de infecções: no parto cesárea há maiores riscos da mãe contrair uma infecção por conta do procedimento cirúrgico. De acordo com o Ministério da Saúde, esses riscos podem aumentar em até 5 vezes se comparados ao parto vaginal.
  • Queloides: para as mulheres que enfrentam problemas com cicatrização, a intervenção cirúrgica para o nascimento do bebê pode trazer marcas mais protuberantes na região da cicatriz, formando até mesmo queloides nessa região.
queloide de cesariana
Os cuidados pós cirúrgicos podem evitar as queloides
  • Dificuldade de amamentação: o hormônio ocitocina é liberado em grande quantidade em mulheres que passam por parto normal / natural, e esse hormônio ajuda na descida mais rápida do leite. Já na cesariana, não há liberação do hormônio, e isso pode fazer com que o leite desça mais devagar e dificulte as primeiras mamadas do bebê.

 

Quando é Necessária

Mesmo quando a cesárea não é a primeira opção da mãe, em alguns casos pode haver a necessidade de realização desse tipo de parto.

E alguns dos casos em que há necessidade da realização da cesariana são:

  • Bebê em posição na adequada para o parto vaginal, podendo estar sentado ou em posição lateral;
  • Bebê que apresente alguma anormalidade ou deficiência já constada no pré-natal;
  • Gestação de múltiplos;
  • Mãe que apresente pré-eclâmpsia ou eclâmpsia;
  • Mãe que apresente problemas na coluna ou quadril, e que dificultem ou impossibilitem a posição ginecológica para o parto vaginal;
  • Descolamento de placenta;
  • Bebês muito grandes e que pesem acima de 4,5 kg;
  • Mãe com doenças infecciosas, como herpes genital e AIDS.

 

Quais os Preparativos Pré-Cesárea?

Para as mães que estão se preparando para uma cesariana, há recomendações médicas para o momento que antecede a intervenção cirúrgica, como:

  • Não comer nada no período de 5 horas antes do horário marcado para o início do parto;
  • Não utilizar acessórios de metal, como anéis, brincos, piercings, entre outros;
  • Evitar o uso de maquiagem excessiva e esmaltes muito escuros, o que pode dificultar o acompanhamento médico através da variação de cor de pele;
  • Para mulheres que usam lentes de contato e óculos, é recomendável que a mulher não esteja com nenhum desses durante a intervenção cirúrgica.

 

Essas são orientações mais comuns, mas é sempre bom pedir as recomendações e instruções do obstetra que acompanha a gestação.

 

Como é o Procedimento?

A intervenção cirúrgica para a cesariana é repleta de procedimentos, e o primeiro deles é o aplicação da anestesia, que pode peridural ou raquidiana, ou combinada. A anestesia não é geral, o que faz com que a mulher fique acordada, mas sem sentir dores durante o procedimento.

Na preparação antecedente ao procedimento cirúrgico, é introduzida uma sonda para a mulher urinar e soro intravenoso, que pode ser usado em caso de necessidade de soro ou remédio.

Nessa primeira fase, a mãe também está ligada a aparelhos de frequência cardíaca, que ajuda no monitoramento durante o processo cirúrgico.

Em seguida é colocado um tecido que impede a mãe de visualizar o procedimento cirúrgico, o que poderia vir a causar mal estar.

Com toda essa primeira fase já preparada e com a mulher já anestesiada, é feito um corte (de 10 a 12 cm) horizontal na região pélvica, um pouco abaixo da linha do bíquini. Através desse corte são cortadas mais 6 camadas de pele até chegar ao útero.

Com os cortes já feitos, é hora da retirada do bebê, que em seguida é mostrado a mãe.

Nesse momento que a mãe está com o bebê, é comum que os médicos deem continuidade a cirurgia retirando a placenta e dando os pontos necessários para fechar o corte.

Em seguida é colocada a pulseira de identificação do bebê e este é levado para os primeiros exames.

 passo a passo

Quais os Efeitos Colaterais Após Cesárea?

Logo em seguida a cesárea, é comum a mulher ter alguns efeitos colaterais, que podem estar relacionados com o processo cirúrgico e com a anestesia.

Entre esses efeito pós-cesárea, é comum que as mulheres:

  • Sintam frio em virtude da queda de temperatura corporal;
  • Tremedeira, em virtude do frio e da incapacidade do corpo de ajustar rapidamente a temperatura corpórea por conta da anestesia;
  • Desconforto para encontrar uma posição.

 

Dicas de Como Escolher a Forma do Parto

A mulher é livre para escolher o seu tipo de parto, e isso pode estar definido em um plano de parto feito previamente pela gestante.

No entanto, é preciso considerar as recomendações médicas sobre a posição do bebê e possibilidades, seja para um parto vaginal ou para a cesariana.

E no caso da mulher ter preferência pelo parto normal / natural, mas esse traga riscos para sua saúde e do bebê, é preciso ter parcimônia em aceitar a recomendação de uma cesárea, que pode ser a melhor alternativa para o momento.

Entre as principais dicas que podemos dar as futuras mamães em relação a escolha do tipo de parto, o primeiro é ter um médico de sua confiança acompanhando a gestação, isso vai te dar mais confiança e certeza para escolher o parto certo para você e vai ajudar para que seja um parto humanizado, respeitando seus desejos.

A outra dica é respeitar o tempo do bebê, e nunca fazer com que seu desejo se sobressaia, como antecipar o nascimento da criança para cair no dia do aniversário de alguém especial para você. O tempo certo de gestação é imprescindível para evitar problemas a vida e saúde do bebê.

Entre as dicas, considere também os riscos de cada tipo de parto, e escolha uma maneira que te deixe mais segura, levando sempre em consideração a orientação médica.

E lembre-se, a cesárea é uma intervenção cirúrgica e a OMS recomenda, quando possível, o parto vaginal, respeitando o tempo do bebê uma via mais natural de nascimento.

como escolher tipo de parto

Recuperação: Cuidados Após a Cesariana

Tempo de Internação

Geralmente, o tempo de internação pós cesárea é de 3 dias, e se tudo estiver bem é grande a possibilidade de mãe e bebê irem para casa após esse tempo.

No entanto, se a mãe apresentou alguma reação após o parto, como uma reação a anestesia, o tempo hospitalar pode se estender.

internação cesariana
A internação pós cesária pode ser de até 3 dias quando não há complicações

Cuidados com o Corte

Nos primeiros dias após a cesárea, é preciso ter alguns cuidados específicos com o corte feito durante a intervenção cirúrgica. Entre esses cuidados são recomendados:

  • Lavar o corte cuidadosamente com água e sabonete neutro durante o banho.
  • Alguns médicos prescrevem pomadas para serem usadas sobre os pontos, ajudando na cicatrização da pele;
  • Evitar pegar pesos ou movimentos bruscos que possam vir a estourar os pontos.
  • Observar os pontos é um ponto primordial para ver que este não apresenta sinais de algo errado. Depois de lavar e secar cuidadosamente, verifique se os pontos não estão muito vermelhos, com secreção, inflamados, com ardência intensa ou outro sinal. Em caso de alguma irregularidade, informe ao seu médico.

cuidados com o corte

Quanto Tempo Depois Pode Levantar a Cabeça?

Um medo muito comum das mulheres que são submetidas a cesariana é o fato de levantar a cabeça após a anestesia, já que é comum mulheres relatam enxaqueca por não respeitarem esse tempo ou até mesmo pela tontura que dá após o parto.

No geral, o ideal é que as mulheres fiquem por volta de 8 horas se levantarem a cabeça, e descansando após a cirurgia.

Depois desse tempo, é provável que uma enfermeira te auxilie a levantar e até mesmo a tomar banho.

 

Remoção dos Pontos

A remoção dos pontos da cesariana costuma acontecer depois de 15 após o parto, e esse tempo vai depender de vários fatores, entre eles a cicatrização apresentada pela mulher.

Os pontos devem ser removidos pelo médico, podendo ser no hospital ou no consultório, sendo que o médico irá avaliar a possibilidade de tirar ou não os pontos.

retirada dos pontos

Agora é só considerar os pontos elencados e se preparar para a chegada do bebê.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.