Parto Prematuro – Riscos, Sintomas, Causas & O que Fazer!

Você está procurando informações sobre parto prematuro? Aqui, vamos mostrar e discutir sobre tudo o que cerca essa situação tão delicada e que podem deixar as mães muito assustadas. Continue com a leitura do post e saiba mais sobre esse tipo de parto.

Parto Prematuro: Dúvidas Frequentes

Muitas mães ficam em dúvida em relação ao parto prematuro. Além disso, muitas preocupações rodeiam essa questão. Os pais querem ter a certeza que seu bebê irá ficar bem e que passarão por essa fase de maneira tranquila. Pensando nisso, selecionamos algumas dúvidas frequentes que geralmente tiram o nosso sossego.

O que é?

O período gestacional ocorre por cerca de 40 semanas, o parto prematuro é aquele que acontece antes da 37ª semana de gestação. Porém, muitas mães que têm os sintomas de parto prematuro conseguem prolongar o parto.

Geralmente, o parto prematuro ocorre quando há uma gestação com mais de um bebê. Ás vezes, esse tipo de parto ocorre por opção do próprio médico, que acredita na possibilidade do bebê ficar melhor fora do útero, nesses casos, os motivos são variados: pré-eclâmpsia materna, quando o crescimento do bebê está um pouco lento, entre outros.

Existem casos em que o parto prematuro ocorre de forma espontânea, por exemplo, quando acontece a dilatação do colo do útero ou até mesmo quando a bolsa estoura antecipadamente.

Bebê na incubadora.

O que Pode Acontecer com o Bebê?

Em alguns casos de nascimento entre a 34ª e a 37ª semana de gestação, o bebê talvez precise ficar alguns dias na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) para fortalecimento do sistema respiratório. Alguns bebês, às vezes, vão direto para o quarto, sem precisar desse auxílio. Tudo vai depender da avaliação do médico e do estado geral do bebê.

Nos partos que ocorrem antes das 34 semanas, o bebê é levado diretamente para a UTI para um cuidado intenso.

Se durante esse período você não puder amamentá-lo, o hospital deverá te orientar sobre como estimular a produção de leite, mantendo o estímulo para que ele possa mamar posteriormente.

Bebê prematuro no colo.

Quais as Características de um Bebê Prematuro?

Os bebês que nascem prematuros geralmente possuem baixo peso e em casos que o parto ocorre antes da 37ª semana gestacional. Eles são menores, possuem dificuldade para se alimentar, para respirar e precisam de acompanhamento médico para observar o seu desenvolvimento até que possam ir para casa sem o risco de complicações.

Mãe segurando os pés de um bebê que nasceu de parto prematuro.

O parto prematuro pode ser classificado como:

  • Moderado: nascimento entre 32 e 37 semanas
  • Muito prematuro: entre 28 e 32 semanas
  • Extremamente prematuro: menor que 28 semanas

O peso ao nascer pode ser considerado:

  • Baixo: menor que 2500g
  • Muito baixo peso: menor que 1500g

Extremamente baixo: menor que 1000g

Principais Fatores de Risco & Causas

É complicado para os médicos prever se uma mulher com a saúde estável antes da gestação terá a possibilidade de parto prematuro. No entanto, algumas bactérias na urina podem ser um indício, por isso é muito importante fazer os exames de urina para identificar as infecções e tratá-las, evitando esse risco. Outro fator significativo é que a vagina contém bactérias, que possivelmente favoreçam esse tipo de parto.

Bebês segurando a mão da mãe.

Veja alguns dos principais fatores de risco:

  • Algumas anormalidades uterinas;
  • Insuficiência do colo do útero;
  • Doenças sexualmente transmissíveis;
  • Infecções nos rins, apendicite ou pneumonia;
  • Gravidez gemelar, nas quais o útero se alarga ou quando ocorre excesso de líquido amniótico;
  • Cirurgias anteriores no colo do útero;
  • Aborto espontâneo anterior, especialmente na 16ª e 24ª semana gestacional;
    Parto prematuro anterior. Nesses casos o obstetra pode indicar a progesterona para dificultar o parto prematuro, esse hormônio funciona como um bloqueio da ocitocina, que está diretamente ligada ao trabalho de parto.
  • Uso de drogas;
  • Tabagismo;
  • Exposição ao estresse contínuo.
  • Placenta prévia ou baixa.
  • Ambiente inadequado para a gestante, como saneamento básico precário, alimentação insuficiente.
  • Anemia severa.
  • Violência doméstica.
  • Genética. Alguns estudos estão tentando compreender se a genética é um fator que favorece o parto prematuro.

Bebê prematuro dormindo.

Sintomas

Antes da 37ª semana, alguns sintomas podem ser o indício de um parto prematuro, veja alguns deles:

  1. Aumento no volume de secreção vaginal.
  2. Modificação no aspecto da secreção.
  3. Sangramento, mesmo que seja muito pouco.
  4. Contrações constantes. Número superior a quatro no período de uma hora, mesmo sem dor.
  5. Dores semelhantes às cólicas menstruais.
  6. Sensação de pressão na região pélvica.
  7. Dores nas costas, ainda mais se for alguma dor que você não estava sentindo antes.

Bebê prematuro com a mãe na boca.

Vale lembrar que alguns dos sintomas acima podem ser frequentes na gestação, porém somente um médico poderá analisar cada caso e identificar se é um fator de risco de parto prematuro.

Caso você sinta contrações intensas antes da 37ª semana de gestação, procure o quanto antes um pronto socorro. É importante buscar o apoio médico imediatamente.

Tratamento

O tratamento nesses casos é uma chance de prolongar o parto com o objetivo de fornecer o tempo necessário para que o corticoide consiga amadurecer os pulmões do feto. Normalmente, esse tratamento é feito em casos de risco de parto antes das 34 semanas, nos quais o bebê pode ter alguns riscos.

Em alguns casos, os médicos podem dar continuidade ao trabalho de parto, caso a gestante ou o bebê estejam com complicações.

Bebê prematuro na incubadora.

Alguns agentes tocolíticos são usados na diminuição das contrações. Neles possuem sulfato de terbutalina, salbutamol, nifedipina, magnésio e indometacina. Essa medicação é administrada por injeção.

Os esteroides ou corticoides ajudam no amadurecimento dos pulmões do bebê e podem dificultar a formação do colapso dos alvéolos, são sacos nos pulmões onde ocorre a troca de ar. Essas substâncias ajudam na prevenção da hemorragia intraventricular, ou seja, um sangramento na região do cérebro, além de problemas que podem prejudicar o sistema circulatório ou o intestino. Essa medicação geralmente é utilizada entre as 24 e as 34 semanas. A betametasona é muito recomendada nesses quadros.

Como Prevenir o Parto Prematuro

Para prevenção do parto prematuro, a gestante deve evitar qualquer atitude que possa prejudicar o bebê, como o uso do cigarro e outras drogas. No caso de gestantes com histórico de parto prematuro, o médico pode avaliar a possibilidade da utilização do suplemento de progesterona. Existem também algumas injeções e uma espécie de gel vaginal que pode dificultar o parto prematuro. Tudo isso depende da avaliação médica para lhe indicar qual é a melhor solução.

Médico segurando bebê na incubadora.

Outras dicas muito importantes é fazer o pré-natal de forma adequada, indo a todas as consultas. Evitar ações que possam tirar o seu bem-estar, como diminuir a exposição ao estresse. Repousar e evitar atividades que exijam grande esforço. Uma alimentação adequada com ingestão de líquidos pode te manter saudável.

Vale lembrar que nem sempre a causa de um parto prematuro é identificada pelos médicos, às vezes, a mãe toma todas as precauções e mesmo assim esse tipo de parto pode acontecer. Por isso, não se culpe caso passe por essa situação.

Hoje, muitos hospitais têm uma estrutura muito equipada para dar o suporte necessário para você e seu bebê. Então, as chances de que vocês superem essa situação é muito grande.

Escreva nos comentários se você já passou ou está vivenciando esta situação e compartilhe o post com outras mães! Até breve!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.