Depressão na Gravidez – Como Tratar & Principais Causas e Sintomas!

Você já ouviu falar sobre a depressão na gravidez? Muitas vezes, por se tratar de um momento tão delicado, muitas mulheres acabam escondendo esse problema ou não procurando auxílio médico. Por isso, nesse post, vamos te ajudar a identificar os sintomas e mostrar como é feito o tratamento, afinal é muito importante buscar uma solução, certo? Confira abaixo.

Sobre a Depressão na Gravidez

Depressão na gravidez.

Como Identificar?

Embora seja um período de muita alegria para a família, muitas mulheres ficam tristes após receber a notícia de que estão grávidas e se isso for frequente, é bom ficar atenta, pois a depressão na gravidez pode afetar o desenvolvimento do bebê.

A gestação é um momento cheio de expectativas, no qual a mulher é mergulhada em uma infinidade de hormônios que a deixam mais sensível, por isso é normal termos alterações de humor, nos sentirmos mais choronas, pois tudo isso faz parte da gravidez.

No entanto, se você tem percebido que tem perdido a vontade de comer, de se divertir, de dormir ou até mesmo de sentir prazer nas atividades que antes você desempenhava, é bom ficar alerta aos sinais de depressão na gravidez.

Depressão na gravidez.

Cerca de 10% a 20% das gestantes sofrem com esse problema e algumas vezes é até indicado tomar um remédio durante o tratamento. Sabemos que qualquer medicação precisa ser avaliada pelo obstetra, no caso dos antidepressivos eles precisam assegurar o bem-estar do bebê e da mãe. É importante que o médico faça uma avaliação do quadro e avalie o risco-benefício, para não gerar complicações nessa etapa tão delicada.

Se você já usava esse tipo de medicamento antes da gestação, converse com seu médico para saber se poderá continuar com o uso dele durante o pré-natal.

Alguns ginecologistas indicam tratamentos alternativos, como medicação fitoterápica ou relaxamentos para melhorar esse quadro.

Quais as Principais Causas?

A depressão na gestação pode ser causada pelo falta de apoio emocional por parte da família, pela ausência de carinho, assistência e conforto. Alguns elementos que favorecem o desenvolvimento da depressão são:

  • Gestação anterior com alguma complicação, como perda do filho ou aborto.
  • Casos anteriores de transtornos psiquiátricos, como ansiedade, entre outros.
  • Instabilidade financeira, ausência do companheiro(a) ou gravidez indesejada.
  • Morte de parentes próximos.
  • Casos de catástrofe, incêndios ou acidentes.
  • Problemas graves de saúde.
  • Abuso sexual ou violência.
  • Brigas com o parceiro.
  • Divórcio ou separação.

Depressão na gravidez.

Vale lembrar que a depressão na gestação também pode ser desenvolvida em mulheres que não passaram por essas situações.

Quais os Sintomas?

Sabemos que as variações de humor nesse período são normais por conta dos níveis hormonais alterados. No entanto, se essa mudança de humor acontecer por muitas semanas ou meses, é interessante conversar com o médico para identificar se trata-se de um caso de depressão na gestação. Um dos sintomas mais comuns são: crises de choro, irritabilidade constante, ansiedade, tristeza, alterações no sono (insônia ou sonolência em excesso), falta de interesse pelas atividades do dia a dia, pensamento de morte ou suicídio, sentimento de culpa, falta de apetite ou fome constante. O aparecimento desses sintomas começa a ficar evidente no último trimestre ou no primeiro. Também é muito comum o surgimento logo após o nascimento do bebê, no primeiro mês.

Depressão na gravidez.

A depressão na gravidez pode levar ao afastamento do trabalho, pois a paciente fica com dificuldade de realizar todas as atividades diariamente, se cansando com muita facilidade.

Existem Riscos para o Bebê?

O risco para o bebê está ligado às alterações hormonais constantes, além da falta de atenção em relação à saúde e à alimentação. Tudo isso pode prejudicar o desenvolvimento do bebê, ocasionando um parto prematuro ou até mesmo o aborto. É por esse motivo que quanto antes a paciente procurar ajuda de um médico, mais chances de cura. O especialista na área te indicará a melhor forma de tratamento para não trazer complicações e garantir uma gestação saudável.

Depressão na gravidez.

Como Tratar e Lidar com a Depressão na Gestação?

O tratamento para a depressão pode ser realizado com psicoterapia, que ajudam no aumento da autoestima e da autoconfiança. Algumas terapias alternativas, como a acupuntura também são bastante recomendadas para o tratamento da depressão na gravidez, assim como outras formas bem interessantes e que ajudam muito a gestante durante essa fase são: atividades físicas, apoio dos familiares, alimentação saudável.

Em casos de atividade profissional estressante, o médico pode indicar o afastamento do trabalho para que a paciente consiga superar a depressão e preservar o bebê.

As medicações antidepressivas, como a Fluoxetina, geralmente não são recomendadas na gestação. Porém, em casos mais complexos, o médico pode fazer uma avaliação da situação e indicar esse tipo de remédio. Remédios naturais, como a erva-desão-joão não podem ser usadas nessa fase para evitar qualquer complicação para o bebê. Mesmo que a gestante tenha um obstetra para acompanhar o pré-natal, o médico psiquiatra também pode ajudar no tratamento, verificando de perto o quadro clínico e indicando as melhores soluções para driblar esse problema.

 

Comente abaixo qual a sua opinião sobre esse assunto. Esperamos que as nossas dicas tenham te ajudado! Até mais!